Logística 4.0 – Aplicação de Tecnologias nas Operações Portuárias (V.4, N.3, P.6, 2021)

Estimated reading time: 16 minute(s)

Divulgador da Ciência:

Prof. Dr. Delmo Alves de Moura (delmo.moura@ufabc.edu.br)
Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção – PGEPR (CECS).

A  Indústria 4.0 caracteriza-se pela transformação digital e é considerada como a quarta revolução industrial. O cerne deste ambiente está no uso integrado das tecnologias:

 

FIGURA 1: Tecnologias da Indústria 4.0. Fonte: Adaptado de LORENZ et. al., 2020

 

 

Assim, a aplicação desta filosofia, Indústria 4.0, na área de manufatura, transformação de bens físicos, é uma realidade e um fato, que está revolucionando a forma de trabalho nas empresas.

Na área de serviços, pode-se aplicar estas tecnologias e melhorar o desempenho, visando obter total controle das operações, eliminar processos ineficientes e ineficazes, além de obter ganhos relacionados ao meio ambiente.

Na área de gestão portuária, principalmente com as operações relacionadas a movimentação e armazenagem de contêineres, este sistema, Indústria 4.0, é uma realidade, em alguns portos mundiais, considerados portos inteligentes (Smart Port).

A Indústria 4.0 implica numa comunicação completa que pode envolver várias empresas, fornecedores da cadeia de suprimentos (inbound part), operadores logísticos, portos, distribuidores (outbound part), recursos, clientes, etc. Com isto, pode-se obter ganhos em diversos aspectos como, nos custos, na emissão de gases poluentes, nos resíduos sólidos e líquidos, nos ruídos sonoros (poluição), no consumo de energia, etc. (QIN, LIU, GROSVENOR, 2016; YANG, et al., 2018; MOURA e BOTTER, 2018).

Tornar-se um porto inteligente, significa desenvolver soluções para enfrentar os desafios atuais e futuros, incluindo restrições espaciais, maior produtividade, riscos de segurança e ter foco na sustentabilidade. Os portos inteligentes (Smart Ports) utilizam vários sistemas integrados em suas operações, principalmente nos terminais de movimentação e armazenamento de contêineres.

Um porto inteligente é caracterizado por operações logísticas automatizadas, envolvendo dispositivos conectados através da Internet das Coisas (IoT), com rede de sensores inteligentes, com equipamentos sem fio, focado num centro de dados (Big Data Center) que fazem parte da infraestrutura portuária. Isto permite que as autoridades portuárias possam ofertar serviços aos usuários com maior segurança, confiabilidade, menor tempo de operações logísticas, serviços sustentáveis logisticamente (green), com foco no meio ambiente e seu entorno. Com isto, aumentasse a produtividade das operações portuárias e seu desempenho logístico, (YANG et al., 2018; BARRETO, AMARALA, PEREIRA, 2017; WITKOWSKI, 2017; CHEN, et al. 2019; GONZÁLEZ, et al., 2020; BOTTI et al., 2017; MOLAVI, LIM, RACE, 2019).

FIGURA 2: Uso das Tecnologias nos Portos Inteligentes – Indústria 4.0. Fonte: Autor

 

Integrar os atores logísticos, que envolve todo o gerenciamento da cadeia de suprimentos, é um fator essencial, para que as operações portuárias possam agregar valor ao usuário final do serviço. A figura 3 representa os principais atores envolvidos numa operação de serviços, no transporte marítimo, quando se trata de portos inteligentes.

Os portos inteligentes (Smart Ports) estão colocando em prática a filosofia da Indústria 4.0 em suas operações de movimentação e armazenagem de contêineres e estão inovando, com a aplicação de tecnologias de ponta, com o uso de equipamentos de última geração e integrados, com o uso de sistemas de informações, de Big Data, de sistema de simulação, de sistemas de realidade aumentada, de automação e robótica, da Internet das Coisas, da segurança cibernética e das nuvens (The Cloud).

 

Referência

 

BARRETO, L.; AMARALA, A.; PEREIRA, T. Industry 4.0 implications in logistics: an overwiew. Procedia Manufacturing 13, p. 1245-1252, 2017.

BOTTI, A.; MONDA, A.; PELLICANO, M.; TORRE, C. The Re-Conceptualization of the Port Supply Chain as a Smart Port Service System: The Case of the Port of Salerno. Systems, 5, 35, doi:10.3390/systems5020035, 2017.

CHEN, J.; HUANG, T.; XIE, X.; LEE, P. T.-W.; HUA, C. Constructing Governance Framework of a Green and Smart Port. Journal of Marine Science and Engineering 7, 83, doi:10.3390/jmse7040083, 2019.

GONZÁLEZ, A. R.; CANCELAS, N. G.; SERRANO, B. M.; ORIVE, A. C. Preparation of a Smart Port Indicator and Calculation of a Ranking for the Spanish Port System. Logistics, 4, 9, doi:10.3390/logistics4020009, 2020.

LORENZ, M.; RÜßMANN, M.; WALDNER, M.; JUSTUS, J.; ENGEL, P.; HARNISCH, P. Disponível em:<https://www.bcg.com/pt-br/publications/2015/engineered_products_project_business_industry_4_future_productivity_growth_manufacturing_industries.aspx> Acesso em 15 de julho de 2020.

MOLAVI, A.; LIM, G. J.; RACE, B. A framework for building a smart port and smart port index. International Journal of Sustainable Transportation, p. 686-700, doi.org/10.1080/15568318.2019.1610919, 2019.

MOURA, D. A.; BOTTER, R. C. Port of Santos, Brazil: Essential factors to implement a green port system. International Conference on Maritime Technology and Engineering – MARTECH. Progress in Maritime Technology and Engineering, Lisbon, Portugal, 2018.

QIN, J.; LIU, Y.; GROSVENOR, R. A Categorical Framework of Manufacturing for Industry 4.0 and Beyond. Changeable, Agile, Reconfigurable & Virtual Production, Procedia CIRP 52, p.173 – 178, 2016.

WITKOWSKI, K. Internet of Things, Big Data, Industry 4.0 – Innovative Solutions in Logistics and Supply Chains Management. Procedia Engineering 182, p. 763 – 769, 2017.

YANG, Y.; ZHONG, M.; YAO, H.; YU, F.; FU, X.; POSTOLACHE, O. Internet of Things for Smart Ports: Technologies and Challenges. IEEE Instrumentation & Measurement Magazine, February, 2018.

 

FIGURA 3: Sistema de Serviço de um Porto Inteligente. Fonte: Adaptado de BOTTI et al., 2017.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Twitter