Desinfector Inteligente de Baixo Custo Utilizando Radiação No Ultravioleta-C (BURN) (V.3, N.9, P.7, 2020)

Tempo estimado de leitura: 7 minuto(s)

Divulgadores da ciência:

Letícia Foiani, ingressante na UFABC, em Bacharelado de Ciência e Tecnologia e técnica em Química.

Matheus Pessôa, graduado em Bacharelado de Ciências e Tecnologia e em Física pela UFABC. Mestrando em Cosmologia Experimental pela McGill University.

Pedro Olyntho, graduado em Bacharelado de Ciência e Tecnologia e graduante em Engenharia Biomédica pela UFABC.

Sarah Aquino, ingressante na UFABC, em Bacharelado de Ciência e Tecnologia.

Ana Carolina Ratti, graduando BC&T e Engenharia Biomédica pela UFABC

Felipe Menossi e Silva: graduando em BC&T e Física pela UFABC e técnico em Mecatrônica

Gabriel Leal: graduando em BC&T pela UFABC

Guilherme Galhardo: graduando em BC&T e Engenharia Aeroespacial pela UFABC

Mauri Pedroso: graduado em Eg. Industrial, Mestre em Eng. Mecânica ambos pela UNESP e Doutorando em Nanociências e Materiais Avançados pela UFABC

 

A premissa do projeto BURN é construir, de forma barata, um protótipo de um disinfector inteligente que faz uso de radiação ultravioleta-C para a descontaminação de objetos utilizados diariamente em locais com alta probabilidade de contágio, como máscaras de proteção, calçados, roupas, chaves, embalagens, aparelhos telefônicos e até alimentos.

 

O projeto consiste em uma caixa térmica envolvida internamente com papel alumínio, aumentando assim a superfície de incidência do UVC e permitindo que objetos de maiores dimensões não sejam reajustados tantas vezes para alcançar uma desinfecção eficiente. 

 

Os objetos a serem desinfetados são posicionados na base da câmara e devem permanecer à exposição da radiação ultravioleta C de acordo com as especificações de tempo e distância determinados pelas pesquisas e testes a serem realizadas pelo grupo. Destaca-se a presença de um sistema elétrico responsável pela regulação do tempo de funcionamento necessário, visando à segurança dos usuários e evitando gastos de energia excessivos.

 

Além disso, a pesquisa busca a democratização do conhecimento necessário para a montagem da caixa de desinfecção. Com isso, também serão feitos manuais de montagem e vídeos explicativos sobre as especificidades da radiação UVC e a ação biofísica no coronavírus. Como planeja-se utilização para diferentes materiais, avalia-se a literatura para encontrar tempos ótimos de exposição à irradiação, além de minimizar o custo para mais ampla disseminação da caixa. Os manuais de montagem e vídeos explicativos serão disponibilizados de maneira open source.

 

O edital de combate à COVID-19, o qual financiou a ação, na Universidade Federal do ABC (UFABC) foi um tema muito comentado durante as reuniões do grupo de pesquisa Óptica e Acústica da universidade, coordenado pelo professor Antônio A. R. Neves. Em uma dessas reuniões, surgiu a ideia da aplicação de radiação ultravioleta-C no combate à COVID, inspirado em projetos prévios. Métodos de irradiação similares já se tornaram protocolos hospitalares em outros países, como os Estados Unidos, irradiando máscaras N95 em hospitais para reutilização. Assim, nasceu o projeto BURN. 

 

Assim como qualquer outra pesquisa, o projeto demanda muito estudo prévio e investigação de fontes de credibilidade que tragam informações e experimentos úteis para a elaboração, desenvolvimento e aplicabilidade do disinfector. Além disso, é necessário realizar testes que definem as especificações de tempo e distância necessários à descontaminação eficiente, a partir dos materiais e dimensões das diferentes superfícies e levando em consideração as precauções a serem destacadas ao futuro público.

 

A partir de estudos prévios, também é possível conhecer modelos matemáticos que estimem tais especificações, otimizando os experimentos e aumentando a diversidade conhecida de materiais a serem desinfetados. Ainda se faz necessário certificar-se da eficiência do esterilizador, uma vez que a presença do vírus não é notada a olho nu. Dessa forma, para garantir a aplicabilidade do produto e conquistar a credibilidade dos consumidores, a técnica de fotobranqueamento será aplicada para validar o método.

 

Além disso, prezando pelo viés informacional e pelo compromisso do projeto para com o futuro público, destaca-se a cautela em utilizar os termos referentes à desinfecção para abordar a ação e finalidade do BURN, uma vez que a nomenclatura de “esterilização”, apesar de usualmente tida como similar, significa eliminar completamente os patógenos, inclusive seus esporos, sendo utilizada em situações que exigem um rigor maior de segurança como em salas cirúrgicas. Mesmo com essas considerações em mente, o projeto é capaz de entregar uma desinfecção não apenas eficiente (na faixa de 99,9%), mas também coerente com a proposta de prevenção ao contagio da COVID-19.

 

O grupo é constituído pelo Professor Orientador Antonio Alvaro Ranha Neves e por discentes bolsistas e voluntários: Ana Carolina Ratti, Daniel Argumedo, Felipe Menossi e Silva, Gabriel Leal, Guilherme Galhardo, Letícia Foiani, Matheus Pessôa, Mauri Pedroso, Pedro Henrique Olyntho e Sarah Aquino.

 

A heterogeneidade do time, que inclui também duas alunas ingressantes, se faz a partir de diferentes áreas da graduação e pós-graduação em Física, Química, Nanociências de Materiais Avançados, Engenharia Aeroespacial, Engenharia Mecânica e Engenharia Biomédica, o que enriquece o projeto e a troca de conhecimentos.

      

Protótipo do Burn.

       

Se interessou pelo projeto?  Você pode acompanhar o seu desenvolvimento e aprender um pouco mais sobre através das nossas redes sociais!

 

Também aproveitamos para convidá-los a conferir o manual de construção já disponibilizado em repositórios virtuais para que você mesmo possa confeccionar a sua caixa de desinfecção!


https://www.instructables.com/BURN-Esterilizador-Inteligente-De-Baixo-Custo-Util/

https://tecnologias.libres.cc/burnufabc/burn_esterilizador-inteligente-de-baixo-custo-utilizando-radia-o-no-ultravioleta-c

O texto originalmente publicado foi alterado na data 10/11/2020

Related Post

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Twitter