Facebook Twitter Instagram YouTube

O sol faz bem para o seu coração (V.1, N.4, P.3, 2018)

Tempo de leitura: 2 minutos
#acessibilidade Mulher com os braços abertos de frente para o sol.

Estudos demonstraram que as taxas de doenças cardiovasculares em países próximos à linha do Equador são menores do que em países mais distantes. O estudo publicado em 1998 pelos autores Law e Morris relacionou o risco de doença cardiovascular em função da latitude. Os resultados mostram uma tendência: quanto maior a latitude, maior será o risco de doença cardiovascular. Por exemplo, um indivíduo que mora na Escócia tem maior risco de doença cardiovascular do que um indivíduo que mora na Austrália.

Em 2016, o Prof. Dr. Richard Weller da Universidade de Edimburgo na Escócia reportou um resultado semelhante relacionando a pressão sanguínea e a latitude. Esses resultados mostram que um indivíduo que mora em São Paulo no Brasil (22° de latitude) apresenta pressão sanguínea em torno de 10% menor do que indivíduos que moram em Edimburgo (55° de latitude). Esse fato pode ser atribuído à diferença de incidência solar nas cidades localizadas em diferentes latitudes. Indivíduos com elevados/suficientes níveis de vitamina D apresentam menores taxas de doenças cardiovasculares. O Prof. Dr. Richard Weller e seus colaboradores propuseram que a vitamina D é apenas um marcador, e que os efeitos benéficos no sistema cardiovascular estariam relacionados com processos mediados pela radiação solar.

A pele apresenta grandes estoques de espécies reativas de nitrogênio/oxigênio (NOx) nas camadas da pele. A luz solar é responsável por liberar uma molécula chamada óxido nítrico (NO) desses depósitos de NOX presentes na pele, o qual se difundiria da pele para a corrente sanguínea, causando a vasodilatação, diminuindo a pressão arterial. Ou seja, a luz do sol gera o NO na nossa pele, aumentando a vasodilatação e diminuindo a pressão arterial. Quanto maior a exposição ao sol, mais NO é formado na pele e menor é a pressão arterial do indivíduo.

Apesar da radiação solar apresentar efeitos negativos, como o aumento da incidência de câncer de pele e o envelhecimento precoce, ela também está relacionada com a manutenção do equilíbrio do organismo por meio da regulação da pressão arterial. Conforme dito pelo Prof. Richard Weller: “The future is bright — let a little sunshine into your heart”

Fonte:

Fonte da imagem destacada: Julian Jagtenberg para o Pexels

https://www.ted.com/talks/richard_weller_could_the_sun_be_good_for_your_heart?language=pt-br

Compartilhe:

Responder

Seu endereço de e-mail não será publicado. Obrigatório *