Uncitermes

Família: Termitidae

Subfamília: Syntermitinae


O cupim dessa semana é o gênero Uncitermes, que inclui atualmente duas espécies, ambas com distribuição conhecida para a região amazônica: Uncitermes almeriae e U. teenavi.

Uncitermes2.pptx (5)

O gênero Uncitermes foi descrito em 2012, mas uma de suas espécies já era conhecida pela ciência desde 1925, quando o pesquisador Alfred Emerson à descreveu como pertencente ao gênero Armitermes (A. teevani). Mas como você sabe, a ciência está em constante mudança, por isso, em 2012, Rocha e colaboradores, estudando a morfologia de todas as espécies do então gênero Armitermes, concluíram que U. teenavi compartilhava muito mais características com as espécies do gênero Rhynchotermes do que com os demais Armitermes. Sendo assim, esses autores criaram o gênero Uncitermes, para a espécie U. teenavi.

Em 2016, a segunda espécie do gênero foi descrita, U. almeriae. Essa espécie é conhecida apenas do Peru e Equador, e recebeu esse nome como uma homenagem à mãe do pesquisador que à descreveu: Tiago Carrijo, coordenador do Wikitermes ;-). A mãe do Tiago se chama Almeri, e não Almeriae. Essa terminação “ae” é incluída no nome científico por uma regra de nomenclatura zoológica, ela serve para latinizar o nome científico da espécie.

Pensa que a história acaba aqui? Através de dados moleculares e características morfológica dos bichos, em 2017, Rocha e colaboradores mostraram que provavelmente os Uncitermes fazem mesmo parte de Armitermes, trazendo uma forte evidência que corrobora a hipótese inicial de Alfred Emerson. Se isso se comprovar com novos estudos, provavelmente Uncitermes deixará de existir, e suas espécies irão voltar para o gênero Armitermes.

O gênero Uncitermes é bem característico, com seus soldados tendo a cabeça num tom amarelo/alaranjado, um naso comprido e mandíbulas bem arqueadas e pontudas, com um dente no meio, que dá à ela aparência de um anzol de pesca. A principal diferença entre as espécies U. almeriae e U. teevani é que os soldados do primeiro possuem pequenas cerdas recobrindo toda a cabeça, já os soldados de U. teenavi possuem apenas algumas cerdas longas bem espaçadas na cabeça.

Existem pouquíssimas informações disponíveis sobre a biologia da espécie U. almeriae, mas os U. teenavi são normalmente encontrados em madeira podre, serrapilheira (camada de folhas que cobrem o chão) e em raízes.


Texto por: Samuel Marques Aguilera Leite


Referências:

Carrijo, T.F, Constantini, J.P. & Scheffrahn, R.H. (2016).  Uncitermes almeriae, a new termite species from Amazonia. (Isoptera, Termitidae, Syntermitinae). ZooKeys 595: 1–6.

Rocha, M.M., Cancello, E.M. & Carrijo, T.F. (2012). Neotropical termites: revision of Armitermes Wasmann (Isoptera, Termitidae, Syntermitinae) and phylogeny of the Syntermitinae. Systematic Entomology, 37, 793–827.

Rocha, M.M., Morales-Corrêa e Castro, A.C., Cuezzo, C. & Cancello, E.M. (2017). Phylogenetic reconstruction of Syntermitinae (Isoptera, Termitidae) based on morphological and molecular data. PLoS ONE 12(3): e0174366. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *