Categoria: Canais de divulgação científica

0

|Podcast| Pandemia, biopolítica e tecnologia (V.3, N.7, P.20, 2020)

Neste episódio, Sergio Amadeu conversa com Ricardo Teixeira, médico, professor e pesquisador do Departamento de Medicina Preventiva da USP. Em meio ao crescimento do número de mortos pela covid-19, vivemos uma aparente política caótica de abertura do comércio e de um “novo normal”. No bate-papo, a narrativa sobre o papel do saber e do poder médico são retomados, analisando a ocupação dos leitos e estresse das equipes do SUS.

0

Pílulas de Sanidade #7 (V.3, N.7, P.18, 2020)

O Neurocast é uma iniciativa de alunos da UFABC com o objetivo de divulgar a área de Neurociência de uma forma dinâmica e divertida para todas as idades. Cada Pílula de Sanidade é uma postagem com recomendações de atitudes e atividades que podem contribuir para o seu bem estar e o da população em geral. A Pílula #7 ressalta a importância de prestarmos atenção nas nossas reais necessidades e sentimentos.

0

|Universidade das Crianças| – Por que as folhas mudam de cor no outono? (V.3, N.7, P.17, 2020)

Universidade das Crianças é um projeto de divulgação científica que trabalha com crianças em oficinas e na produção de curtas de animação, textos ilustrados, áudios e livros. As crianças perguntam a cientistas questões dos mais variados tipos, sobre o corpo humano, outros animais, plantas, astronomia etc. Neste post, o tema é Botânica.

0

Sobre outros olhares para a divulgação científica (V.3, N.7, P.17, 2020)

Um dos maiores desafios para democratizar o conhecimento das ciências é substituir verdades dogmáticas por hipóteses transitórias. A Teoria da Evolução possui aspectos inaceitáveis para uma parcela significativa da sociedade e provoca discussões acaloradas sobre a ausência de uma inteligência transcendental. Nos últimos 50 anos, diversos cientistas se dedicaram a levar os fundamentos da Evolução para fora do ambiente acadêmico, dentre eles se destacam dois grandes divulgadores científicos: Dawkins e Gold.

0

Os cupins e as cidades brasileiras: viver em sociedade é vantajoso? (V.3, N.7, P.15, 2020)

Um cupinzeiro concentra milhares de cupins operários e soldados, bem como uma cidade aglomera milhares de pessoas. Uma resposta para o porquê desta organização social em comum pode ser a energia. O pesquisador venezuelano Klaus Jaffe indica que quanto mais indivíduos em uma cidade ou em uma colônia de insetos, mais eficiente é o consumo energético. Em outros termos, quanto maior o grupo social, menor será o consumo de energia por habitante.

Twitter