O fantástico mundo das cerâmicas! (V.1, N.1, P.2, 2018)

Tempo estimado de leitura: 7 minuto(s)

Roger Borges, Filipe dos Santos, Juliana Marchi.

Olhe ao seu redor neste exato momento. Quantos utensílios ou objetos feitos de cerâmica você pode observar? Paredes, xícaras, janelas de vidro, pratos… Talvez estes sejam os objetos mais facilmente palpáveis, porém existem vários outros objetos cerâmicos a sua volta que você provavelmente não esteja vendo, porém estão lá. São exemplos: os materiais semicondutores utilizados nos circuitos eletrônicos do seu celular e do seu computador, o vidro da fibra óptica utilizada na fiação de internet, micropartículas cerâmicas utilizadas na sua pasta de dente, dentre vários outros exemplos possíveis. Seria praticamente inviável termos a nossa rotina do dia a dia sem materiais cerâmicos e isso ocorre porque cerâmicas são utilizadas pela humanidade há muito tempo.

As cerâmicas são materiais utilizados desde a Idade da Pedra nas antigas civilizações. Devido a sua propriedade de isolar calor, as cerâmicas foram usadas por civilizações no transporte e armazenamento de líquidos como água e vinho. Os potes e as bacias eram feitos de argila frequentemente umedecidas seguida de um tratamento térmico, em que a peça é submetida à alta temperatura que lhe proporciona resistência e dureza. As cerâmicas atravessaram milhares de anos e são um dos principais artefatos e vestígios de povos como os mesopotâmicos e gregos, que as utilizaram em diversos setores sociais. Elas foram decisivas para que as civilizações passassem da Idade da Pedra para a Idade do Bronze, por poderem fundir metais em artefatos feitos de materiais cerâmicos.

Atualmente, utilizamos diferentes materiais cerâmicos em diversas aplicações e, portanto, os classificamos em diferentes categorias, tais como:

Cerâmicas vermelhas, cerâmicas técnicas, louças, cerâmicas refratárias, revestimentos cerâmicos, biocerâmicas, abrasivos, e vidros.

As cerâmicas vermelhas são usualmente derivadas de argila e são utilizadas na construção civil, como tijolos, blocos e lajes. Cerâmicas técnicas são materiais cerâmicos que são utilizados em aplicações específicas, como aplicações químicas, eletro-eletrônica, térmicas, mecânica e nuclear (como cerâmicas utilizadas em chips de celulares, por exemplo, que é uma aplicação eletroeletrônica). Exemplos de louças são as pias e vasos sanitários que usamos em banheiros.

Além dessas categorias existem as cerâmicas refratárias, são cerâmicas que suportam elevadas temperaturas e são geralmente utilizadas em fornos para fusão de metais ou outra atividade que tenha necessidade de temperaturas elevadas. As cerâmicas também são utilizadas no ambiente doméstico, é o caso  dos revestimentos cerâmicos que são utilizadas para produções de pisos, porcelanatos, azulejos,  etc.

As cerâmicas não possuem apenas aplicações técnicas, elas também são utilizadas na medicina, são as biocerâmicas e são constantemente  utilizadas em aplicações biomédicas, tais como substitutos ósseos e materiais para diagnóstico e tratamento de doenças. Também existem os abrasivos que são cerâmicas utilizadas para fazer lixamentos, lapidações e polimentos, geralmente possuem aplicações na construção civil. Por fim, vidros são um tipo especial de cerâmica que são utilizados para produção de janelas, vidros automotivos, utensílios domésticos, fibras ópticas etc.

Como é possível observar, as cerâmicas podem ter muitas aplicações diferentes e é necessário, portanto, que sejam desenvolvidas pesquisas nos diferentes seguimentos supracitados a fim de haver desenvolvimento científico e tecnológico nas várias aplicações dos materiais cerâmicos. No Brasil, a Associação Brasileira de Cerâmica (ABCeram) é a instituição responsável por auxiliar neste desenvolvimento científico. A ABCeram atualmente atua como elo entre pesquisa científica e indústria, fazendo com que haja transferência de tecnologias e corroborando para o desenvolvimento econômico em nosso país. Uma das formas de fazer esta ligação entre indústria e pesquisa científica é por meio dos congressos anuais organizados pela ABCeram, como o Congresso Brasileiro de Cerâmica.

Recentemente, no período de 17 a 21de junho em Foz do Iguaçu, a ABCERAM como membro da Federação Internacional de Cerâmica, promoveu o 7th Congresso Internacional de Cerâmica (ICC7) conjuntamente com o 62º Congresso Brasileiro de Cerâmica. O Congresso teve como objetivo principal servir como uma plataforma internacional de alto nível, para reunir pesquisadores e estudantes no campo da cerâmica, para discutir o progresso científico em todas as áreas de pesquisa e desenvolvimento, desde aspectos relacionados à forma de obtenção destes materiais, passando por técnicas de processamento e aplicações de cerâmica.

Desta forma, em junho deste ano o Brasil foi sede de discussões bastante frutíferas sobre o desenvolvimento tecnológico de materiais cerâmicos, onde não somente cientistas brasileiros participaram, mas também cientistas do mundo inteiro, como Estados Unidos, França, Itália, Reino Unidos, China, Índia, Japão, dentre vários outros países. Ao todo, participaram do evento mais de 650 pesquisadores, representantes de 36 países, com a participação de mais de 750 trabalhos entre orais, posters e palestras convidadas.

O Brasil se destaca na produção de cerâmicas, é o segundo maior produtor de revestimentos cerâmicos que envolvem os pisos, azulejos pastilhas e etc.

Estas reuniões são de extrema importância para o surgimento de novas ideias e para que todos os profissionais possam se atualizar sobre novas técnicas de produção e caracterização de cerâmicas e novos materiais para aplicações tecnológicas inovadoras.

A Universidade Federal do ABC tem tido um grande destaque no desenvolvimento de materiais cerâmicos. Por exemplo, três professores da UFABC fizeram parte do comitê organizador do ICC7, a saber, Prof. Humberto N. Yoshimura, Prof. Daniel Z. Flório e Profa. Juliana Marchi. Outros docentes também participaram do evento, como a Renata A. Rocha, além de diversos alunos de graduação e pós-graduação da UFABC. Alguns alunos foram premiados por seus trabalhos. Estes fatos demonstram que a UFABC tem tido um grande destaque no cenário nacional e internacional no desenvolvimento científico de materiais cerâmicos, reforçando a importância da instituição como universidade de excelência científica.

Imagem destacada: http://engenheirodemateriais.com.br/2017/09/20/uma-nova-definicao-para-os-vidros/

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *