Facebook Twitter Instagram YouTube

Os dinossauros foram realmente extintos? (V.3, N.4, P.13, 2020)

Tempo de leitura: 4 minutos
#acessibilidade Ilustração de duas aves primitivas com florestas, montanhas e o céu azul ao fundo.

Texto escrito em colaboração com Pedro Vinícius Rodrigues de Lima

No fim do Cretáceo Superior, há aproximadamente 66 milhões de anos atrás, um asteroide de 15 km de diâmetro atingia a Terra em um lugar especialmente catastrófico: o Golfo do México. Ao atingir o mar, chocou-se com a Terra e liberou grande quantidade de enxofre na atmosfera, o que prolongou o resfriamento global. A Terra tornou-se fria e escura e os recursos se tornaram escassos, impossibilitando a vida dos grandes e imponentes dinossauros. De todas as espécies, sobraram apenas algo em torno de 25%. Este grupo restante é responsável, portanto, por toda a história evolutiva seguinte de organismos que povoaram nosso planeta até os dias atuais. Então, os dinossauros estão entre as espécies sobreviventes?

Para entendermos como este cataclisma influenciou a dinâmica das espécies viventes no passado precisamos entender como animais e plantas eram, dado que os organismos da época eram diferente dos atuais. Durante o fim do Cretáceo as angiospermas surgem na flora e passam a conviver com as já estabelecidas gimnospermas. Surgem também muito insetos que passam a se relacionar ecologicamente com as plantas. Os mamíferos já existiam anteriormente ao Cretáceo, mas é neste período que as linhagens atuais surgem. As aves no final do Jurássico (período anterior ao Cretáceo) eram menos derivadas, ou seja, possuíam características mais ancestrais. Estas aves eram completamente diferentes dos pássaros modernos, possuíam caudas longas com vértebras, longos antebraços e garras nas asas (Imagem 1)! Ao longo dos milhares de anos as linhagens foram se modificando e no Cretáceo já existiam pássaros semelhantes aos modernos, com ossos desdentados e robustos, antebraços mais curtos, caudas truncadas e sem garras nas asas. Nessa época surgiram muitas famílias novas de dinossauros, como os ceratopsídeos, que possuíam chifres. Os dinossauros terópodes (por exemplo o Velociraptor e o Tiranossauro, astros de Jurassic World), dinossauros bípedes e geralmente com penas, já conviviam com as aves e com pterossauros, que eram voadores (e não são dinossauros!).

características dinossauros - Os dinossauros foram realmente extintos? (V.3, N.4, P.13, 2020)

#acessibilidade Ilustração de um dinossauro com características primitivas, como bico com dentes, asas com garras e cauda comprida com muitas vértebras, que são características de “répteis” e asas com penas de contorno, característica de aves.

A Península de Iucatã separa o Golfo do México do Mar do Caribe e foi nesta península que o asteroide se chocou. Existem diversos estudos a respeito dos eventos posteriores. Dentre estes estudos, uma pesquisa de 2016 se destaca por afirmar com bastante embasamento que o asteroide atingiu uma reserva de petróleo e espalhou uma gigantesca nuvem de fuligem pelo globo terrestre. Em contrapartida, assim como descrito no começo, a hipótese mais aceita é de que com o choque do asteroide nesta região houve a liberação de enxofre na atmosfera e o acúmulo de ácido sulfúrico em nuvens, causando precipitação de duradouras chuvas ácidas. De qualquer forma, fortes indícios apontam que a atmosfera densa impediu a chegada de luz solar, comprometendo organismos fotossintetizantes e diminuindo a temperatura do planeta.

Esta explosão teve consequências avassaladoras, dizimando cerca de três quartos da vida na Terra, incluindo os dinossauros não-aviários. Com o colapso das florestas, as aves arbóreas não sobreviveram e entraram em extinção, ao passo que as aves de pequeno porte que viviam no solo puderam se desenvolver e encontrar nicho ecológico. Foi só com o passar do tempo e a recuperação das florestas que as aves arbóreas puderam se restaurar no ambiente florestal. Desta forma uma pequena parcela da linhagem de aves sobreviveu à extinção em massa, originando a grande variedade de aves modernas que temos atualmente, com cerca de 11 mil espécies.

Estudando, então, os dinossauros extintos e as aves percebemos que as aves também são dinossauros terópodes, pertencentes à super-ordem conhecida por Dinosauria. Dentro desta super ordem existem diversas características marcantes, como andar com apenas as pontas dos dedos apoiados no chão, ter o pescoço em formato de S, ter áreas específicas de encaixe de musculatura no úmero, dentre outras (na Imagem 2 é possível observar semelhanças visuais). Portanto, os dinossauros sobreviveram sim à extinção!

avestruz dinossauro - Os dinossauros foram realmente extintos? (V.3, N.4, P.13, 2020)

#acessibilidade A ilustração gráfica representa um avestruz à esquerda e um dinossauro à direita. Ambos estão na mesma posição, a partir disto é possível observar semelhanças como posição de caminhada com as pontas das patas no chão e pescoço em formato de S.

Fontes:

Fonte da imagem destacada: Zhao Chuang

Fonte da imagem 1: atribuição na imagem

Fonte da imagem 2: Ilustración 19197210 © Linda Bucklin – Dreamstime.com

Para saber mais:

https://www.nationalgeographic.com/news/2018/05/dinosaurs-asteroid-birds-forests-fires-paleontology-science/

https://super.abril.com.br/ciencia/parentesco-com-as-aves-a-nova-face-dos-dinossauros/

https://nationalgeographic.sapo.pt/historia/grandes-reportagens/1817-os-dinossauros-que-nao-morreram

https://www.nationalgeographic.com/magazine/2018/05/dinosaurs-survivors-birds-fossils/

https://www.bbc.com/portuguese/geral-39933336

https://answersingenesis.org/birds/modern-birds-cretaceous/

Compartilhe:

Responder

Seu endereço de e-mail não será publicado. Obrigatório *