Facebook Twitter Instagram YouTube

A gente evolui, mas não progride! (V.1, N.4, P.6, 2018)

Tempo de leitura: 5 minutos
#acessibilidade Única figura que aparece no livro A Origem das Espécies escrito por Darwin e publicado em 1859 quando propôs a evolução através de seleção natural. São linhas que vão se ramificando da base para o topo em forma de ramos. A base representa o passado e o topo o presente.

Cientistas revelaram recentemente que os primeiros britânicos possuíam olhos azuis e pele escura. A reconstrução da aparência desses britânicos foi baseada no DNA encontrado em um esqueleto de aproximadamente 10 mil anos nomeado “o homem de Cheddar”, que não é o queijo! É o maior desfiladeiro do Reino Unido!

Tem tanta coisa interessante nesse achado! Mas alguns britânicos ficaram chateados, então precisamos falar de evolução. Evolução é um dos conceitos científicos que considero dos mais corrompidos pela linguagem coloquial. Evolução no dia a dia é sinônimo de progresso! “Nossa! Como seu nível de leitura evoluiu!”, “Como está seu pai? Ah, o quadro dele está evoluindo bem!”

O progresso pressupõe um objetivo a ser alcançado em que a condição final é melhor que a inicial. Na evolução de Darwin, não existe propósito, e, portanto, progresso! Mas então existe o quê? Os indivíduos numa população variam. De geração em geração notamos mudança na frequência de indivíduos que apresentam determinadas características. Espera-se que indivíduos com características que confiram maior habilidade para captação de recursos deixem mais descendentes. A variação ocorre porque os indivíduos que nascem na geração seguinte apresentam mutações que ocorrem ao acaso em seus genes. São erros de cópia que podem ser prejudiciais, neutros ou benéficos, dependendo do ambiente. Se o ambiente muda, a característica pode passar de prejudicial a benéfica e vice e versa.

Se não existe progresso, a noção de característica primitiva também muda. Ela está somente associada ao tempo. Surgiu antes. Não é pior. Quando as pessoas compreendem melhor o conceito de evolução, o racismo baseado em cor da pele não faz o menor sentido! Progredimos quando pensamentos estreitos como esse são abandonados. A isso chamamos progresso moral!

Fonte:

Fonte da imagem destacada: livro A Origem das Espécies de Charles Darwin

Cheddar Man: Mesolithic Britain’s blue-eyed boy por Kerry Lotzof, publicado 7 de Fevereiro de 2018, atualizado em 18 de April de 2018

Para saber mais:

The History of Evolutionary Thought

Outros divulgadores:

Canal do Pirula – YouTube

Science Vlogs Brasil

Compartilhe:

Responder

Seu endereço de e-mail não será publicado. Obrigatório *