Noirotitermes noiroti

Cupim da semana!

Família: Termitidae
Subfamília: Syntermitinae

Depois de um tempo fora do ar, nosso quadro “cupim da semana” está de volta! E nessa primeira publicação vamos falar de um gênero que foi descoberto há 20 anos, chamado Noirotitermes (ler à francesa: “Noarrôtitermes”) [1]. Este gênero foi encontrado no Piauí, na cidade de Corrente, e foi descrito no ano de 2000 pela pesquisadora Eliana M. Cancello e pelo pesquisador Timothy G. Myles. Até hoje apenas uma espécie é conhecida: Noirotitermes noiroti, uma dupla homenagem ao termitologista francês, Dr. Charles Noirot [1].

O gênero Noirotitermes foi inicialmente colocado como membro da subfamília Nasutitermitinae [1]. Mas, graças a uma série de trabalhos científicos realizados nos anos 2000 [2, 3, 4], alguns integrantes dos Nasutitermitinae, foram transferidos para uma nova subfamília, Syntermitinae [5, 6]. Essa subfamília engloba os chamados “nasutos mandibulados”, isto é os soldados possuem tanto o naso, quanto mandíbulas [5]. Nosso amigo Noirotitermes noiroti não é diferente.

Esses animais são muito raros, pequeninos e possuem hábito subterrâneo, o que também dificulta realizar mais estudos com o gênero [7]. Você acredita que os soldados e operários foram descritos em 2000, mas os alados (as aleluias) só foram descritos 12 anos depois?! [7] Não é nada fácil achar esses bichinhos, mas um trabalho de 2012 fez um levantamento de todos os locais onde ele já foi coletado, e aparentemente eles vivem no norte do Cerrado e na Caatinga.

Mapa%20cupim.jpg

O gênero mais proximamente aparentado dos Noirotitermes provavelmente é Acangaobitermes, mas o nosso cupim da semana possui uma característica muito marcante que nos ajuda a diferenciá-lo. Os soldados de Noirotitermes possuem pequenos espinhos na parte de trás da cabeça [1] – que fazem eles se parecerem com o Batman! Então já sabe. Se ver um cupim parecido com o Batman andando por aí, é um Noirotitermes noiroti! Ele pode não te salvar, mas também não vai comer seus móveis, porque assim como muitos outros cupins, se alimenta basicamente de húmus [1].


Texto por Samuel Leite
Publicado originalmente em 27/03/2020


Referências:

[1] Cancello, E.M.; T.G. Myles 2000. Noirotitermes noiroti (Isoptera, Termitidae, Nasutitermitinae): a new genus and new species from northeastern Brazil. Sociobiology 30 (3): 531-546.

[2] Noirot C. (2001) The gut of termites (Isoptera) comparative anatomy, systematics, phylogeny. II – Higher termites (Termitinae). Annales de la Société Entomologique de France 37 (4): 431-471.

[3] Ohkuma M, Yuzawa H, Amornsak W, Sornnuwat Y, Takematsu Y, Yamada A, Vongkaluang C, Sarnthoy O, Kirtibutr N, Noparatnaraporn N, Kudo T, Inoue T. (2004) Molecular phylogeny of Asian termites (Isoptera) of the families Termitidae and Rhinotermitidae based on mitochondrial COII sequences. Molecular phylogenetics and evolution 31 (2): 701-710.

[4] Inward DJG, Vogler AP, Eggleton P. (2007) A comprehensive phylogenetic analysis of termites (Isoptera) illuminates key aspects of their evolutionary biology. Molecular Phylogenetics and Evolution 44: 953-967.

[5] Engel, M.S.; K. Krishna 2004. Family-group names for termites (Isoptera). American Museum Novitates 3432: 1-9.

[6] Rocha, M.M.; Cancello, E.M.; Cuezzo, C. 2011. A new genus and species of mandibulate nasute termite (Isoptera, Termitidae, Syntermitinae) from Brazil. Zookeys 148: 125–134.

[7] Constantino, R. 2012 Description of the imago of Noirotitermes noiroti Cancello & Myles 2000 (Isoptera: Termitidae: Syntermitinae), with new records. Zootaxa 3174: 65-68.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *